DestaqueEsporte

Pilates: RespirAR utiliza técnica alemã para tratar pacientes com dores crônicas

 O recurso da fisioterapia auxilia no tratamento de diferentes patologias possibilitando até zerar a dor do paciente

FOTOS: Mauro Neto/Sedel

O RespirAR, coordenado pela Secretaria de Estado do Desporto e Lazer (Sedel), tem se destacado pela recuperação funcional de amazonenses, unindo atividade física e fisioterapia, o programa é reconhecido pela Organização Mundial da Saúde (OMS). Por meio de métodos fisioterapêuticos, como o pilates, a iniciativa do Governo do Amazonas busca fortalecer o processo de reabilitação de diversos pacientes.

“A disponibilização do pilates como método terapêutico no programa é fundamental para o processo de reabilitação dos pacientes do RespirAR. Dessa forma, o governador Wilson Lima demonstra o compromisso em disponibilizar e promover saúde pública e qualidade de vida aos amazonenses”, destacou Jorge Oliveira, secretário da Sedel.

Como um método da fisioterapia, o pilates gera um leque de benefícios. No RespirAR o recurso é realizado com ênfase no pilates solo, onde os pacientes usam seu próprio peso corporal para realizar exercícios que auxiliam na melhora da postura, equilíbrio e coordenação motora.

Maria Teresa Lopes, de 52 anos, encontrou alívio através do pilates direcionado ao alongamento e fortalecimento. “Eu tinha dores constantes. Depois que comecei a fazer pilates aqui no RespirAR, hoje, não tomo medicamentos para dor e nem para dormir. Só tenho a agradecer ao Governo do Estado por esse Programa” declarou a paciente da unidade do RespirAR da Vila Olímpica de Manaus.

O Programa RespirAR proporciona um acompanhamento completo e personalizado. “Geralmente o paciente chega com dor, então fazemos um trabalho com recursos eletrotermofototerapêuticos proporcionando ações analgésicas e anti-inflamatórias, onde após a redução do quadro álgico e inflamatório damos continuidade ao tratamento do paciente com o pilates, assim conseguimos reduzir e por vezes até zerar a dor do paciente”, complementou Cleomira Carvalho, fisioterapeuta do programa na Vila Olímpica de Manaus.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *