Polícia

CENAS FORTES: Veja o momento em que PM espanc4 com s0cos e depois mat4 mulher a tiros em bar, veja vídeo

Casal estava conversando quando o PM começou a agredir a mulher com socos e ainda deu uma rasteira na vítima

Pernambuco – Simeia da Silva Nunes, 33, foi morta a tiros após ser agredida com socos e chutes na noite de sábado (29). O suspeito do crime é o companheiro dela, Jáleson de Santana Freitas, 37. O homem é policial militar e é alvo de um mandado de prisão. O caso aconteceu em um bar no bairro do Cajá, na cidade de Carpina, na zona da Mata Norte de Pernambuco. Câmeras de segurança registraram a ação criminosa.

LEIA TAMBÉM:

Imagens de câmera de segurança mostram que a vítima e o companheiro estavam num bar, por volta das 19h35, quando se desentenderam. O policial militar então empurra a mulher que cai. Simeia ainda se levanta e vai em direção à saída, ela volta ao interior do bar e o homem dá um tapa na parte de trás da cabeça dela. O vídeo mostra que o homem ainda segura a mulher pelos cabelos, dá uma rasteira nela e faz com que ela caia de costas no chão.

Depois, o vídeo mostra que o policial dá ao menos dois chutes no rosto da vítima e bate a cabeça dela no chão algumas vezes. Segundo as informações, a vítima saiu do estabelecimento e pediu um mototáxi após as agressões. Por volta das 19h40, enquanto o motociclista que transportaria Simeia se aproxima dela, a câmera flagra um carro, que seria conduzido pelo policia militar, descendo a rua pelo lado direito.

Em seguida, ao passar pela mulher e o mototáxi, o motorista disparara tiros de arma de fogo que atingem Simeia e o motociclista. O condutor do carro fugiu do local. A mulher ainda tentou correr, mas cai no meio da rua. Ela foi baleada no peito. Ja o motociclista foi ferido no braço e na coxa direita, mas sobreviveu. Simeia foi socorrida, mas já deu entrada sem vida no hospital.

De acordo com a Polícia Civil, um inquérito foi aberto pela 11ª Delegacia Seccional de Carpina como feminicídio consumado e tentativa de homicídio. A Polícia Militar afirmou, em nota, que as diligências para encontrar o policial suspeito do crime permanecem sendo realizadas na região.



Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *