DestaqueRoraima

Investigado por mandar matar mãe da própria filha, ex-senador Telmário Mota é considerado foragido

Antônia Araújo foi assassinada com um tiro na cabeça no dia 29 de setembro, quando saía de casa, na zona Oeste de Boa Vista, capital de Roraima.

O ex-senador Telmário Mota, suspeito de mandar matar Antônia Araújo de Sousa, de 52 anos, mãe de uma filha dele, teve a prisão preventiva decretada e é considerado foragido.

Em 2022, a filha o acusou de estupro. A Polícia Civil deflagrou nesta segunda-feira (30) uma operação para prendê-lo, mas ele não foi localizado.

A operação tem como alvo outros envolvidos no assassinato: um sobrinho de Telmário e o suspeito dar o tiro que matou Antônia.

Antônia foi assassinada com um tiro na cabeça em 29 de setembro deste ano, quando saía de casa para trabalhar, por volta das 6h30, no bairro Senador Hélio Campos, zona Oeste de Boa Vista, capital de Roraima.

Informações preliminares da Polícia Civil indicam que o ex-senador está em Brasília, onde policiais tentaram localizá-lo. Como não foi encontrado, ele passou a ser considerado foragido às 13h (horário local).

Na manhã desta segunda, a Polícia Civil cumpriu três mandados de prisão e sete de buscas e apreensão, com apoio da Polícia Militar, da Secretaria de Segurança Pública (Sesp) e do Grupo de Atuação Especial de Repressão ao Crime Organizado (Gaeco).



O segundo suspeito, Leandro, é investigado também pelo latrocínio da empresária Joicilene Camilo dos Reis, de 47 anos. Em dezembro de 2019, ela foi encontrada morta dentro da própria casa, com as mãos amarradas por um fio elétrico, em Rorainópolis, no Sul do estado.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *