DestaqueSaúde

Dengue: FVS-RCP divulga 3º Levantamento Rápido de índices para o Aedes Aegypti (LIRAa) no Amazonas

48 municípios realizaram o LIRAa no terceiro trimestre de 2023

FOTOS: Divulgação/FVS-RCP

No período da estiagem, 48 municípios do estado do Amazonas apresentaram baixo e médio risco do mosquito da dengue, de acordo com os dados fornecidos pela Gerência de Doenças de Transmissão Vetorial – Dengue (GDTV-Dengue) da Fundação de Vigilância em Saúde do Amazonas (FVS-RCP), vinculada à Secretaria de Estado e Saúde do Amazonas (SES-AM).

Dos 62 municípios do Amazonas, 50 apresentaram a circulação do mosquito Aedes aegypti, transmissor da dengue, zika e chikungunya. Além disso, 48 municípios realizaram o LIRAa (Levantamento Rápido de índices para o Aedes Aegypti) no mês de agosto de 2023, sendo 38 com baixo e 10 com médio risco.

O levantamento é uma atividade do Programa Nacional de Controle da Arboviroses para desenvolver ações de controle vetorial no Amazonas. “O período sazonal da dengue no Amazonas é na época de chuvas e cheia dos rios. Mesmo em época de estiagem, os cuidados devem ser mantidos para evitar a dengue, zika e chikungunya”, disse a diretora-presidente da FVS-RCP, Tatyana Amorim.

Essas ações do LIRAa são realizadas mediante a análise dos gestores que direcionam ações para os bairros de alto e médio risco nas atividades de campo, segundo informa a coordenadora da Gerência de Doenças de Transmissão Vetorial – Dengue (GDTV-Dengue) do Departamento de Vigilância Ambiental (DVA) da FVS-RCP, Luzia Mustafa. “Estão incluídas, nessas ações, a orientação ao morador, eliminação de criadouro, tratamento focal, e nebulização em locais onde há casos”, ressalta Luzia.

LIRAa

No terceiro LIRAa de 2023, os municípios que apresentam situação de baixo risco para dengue são: Alvarães, Anori, Apuí, Atalaia do Norte, Autazes, Barcelos, Beruri, Boca do Acre, Boa Vista do Ramos, Borba, Carauari, Careiro, Codajás, Eirunepé, Envira, Fonte Boa, Humaitá, Ipixuna, Iranduba, Itapiranga, Itacoatiara, Lábrea, Manacapuru, Manaquiri, Manicoré, Maraã, Maués, Nova Olinda do Norte, Novo Aripuanã, Parintins, Presidente Figueiredo, Rio Preto da Eva, Santa Isabel do Rio Negro, São Paulo de Olivença, São Sebastião do Uatumã, Santo Antônio do Içá, Tonantins e Urucurituba.



Em médio risco estão os municípios de Benjamin Constant, Coari, Guarajá, Japurá, Jutaí, Novo Airão, São Gabriel da Cachoeira, Tabatinga, Tapauá e Tefé.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *