DestaqueEconomia

Wilson Lima destaca avanços de parcerias com o BID e reforça pedido de apoio a novos projetos do Amazonas

Balanço foi apresentado em encontro entre governadores da Amazônia e direção do Banco Interamericano de Desenvolvimento, em Belém (PA)

O governador do Amazonas, Wilson Lima, apresentou avanços obtidos em programas realizados no estado com recursos do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) e reforçou a importância do apoio do banco para novos projetos ambientais no Amazonas. O balanço foi apresentado nesta segunda-feira (07/08), em Belém (PA), durante o encontro “Conversa de Alto Nível entre os Governadores Brasileiros da Amazônia Legal”.

O encontro entre representantes do BID e os governadores acontece no contexto da Cúpula da Amazônia, que reúne líderes dos países amazônicos para discutir questões relacionadas ao desenvolvimento sustentável da região.

Segundo Wilson Lima, o evento realizado pelo BID serviu como importante troca de experiências e, ainda, uma oportunidade para o Governo do Estado apresentar programas exitosos realizados em parceria com o BID, a exemplo do Programa de Saneamento Integrado de Maués (Prosai-Maués) e de Parintins (Prosai-Parintins); e do Programa Social e Ambiental de Manaus e Interior (Prosamin+), com os investimentos em obras de urbanização, saneamento e habitação nas comunidades da Sharp e Manaus 2000.

Resultados
Wilson Lima destacou que o Prosai Maués fez com que o município alcançasse o maior percentual de tratamento de esgoto do interior do Amazonas (50%), além de 100% de cobertura de água potável. O mesmo modelo, disse o governador, está sendo levado para Parintins, que deverá sair de zero para 25% de cobertura de tratamento de esgoto.

Com o Prosamim+, o Governo do Estado já reassentou quase 800 famílias das comunidades da Sharp e Manaus 2000, onde já começaram os preparativos para os canteiros de obras.

“Também aproveitei para reforçar o pedido para o Governo do Estado do Amazonas ter o apoio para o nosso Guardiões da Floresta, tanto do BID quanto do Banco Mundial”, disse o governador se referindo ao maior programa de Pagamento por Serviços Ambientais, voltado a famílias de unidades de conservação do Estado.



Apoio
Wilson Lima também ressaltou a importância do apoio de instituições como o BID em projetos como o da Escola da Floresta, com financiamento para implantação de unidades educacionais com conceito ambiental nas unidades de conservação estaduais.

Além de governadores da Amazônia brasileira, estiveram presentes o presidente do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), Ilan Goldfajn; a ministra do Planejamento e Orçamento, Simone Tebet; e o ministro da Justiça e Segurança Pública, Flávio Dino.

O governador Wilson Lima está em Belém para também participar da Cúpula da Amazônia, que acontece nesta terça e quarta-feira (dias 8 e 9/8), e que contará com a participação de países em desenvolvimento com reservas florestais para elaboração de uma pauta ambiental conjunta, especialmente para a região.

Banco Mundial
Ainda nesta segunda, Wilson Lima teve reuniões com a vice-presidência do Banco Mundial para tratar, entre outras questões, sobre a colaboração entre o Banco Mundial e o Governo do Amazonas, incluindo a preparação da segunda fase do Financiamento de Políticas de Desenvolvimento para Sustentabilidade Fiscal e Ambiental do Estado, além dos desafios e oportunidades para a Zona Franca de Manaus, em vista da discussão sobre a reforma tributária.

Amazônia para sempre
O objetivo do encontro foi discutir o programa Amazônia Sempre, apresentado pelo BID no fim de junho deste ano para acelerar o desenvolvimento sustentável na região amazônica, avaliando ferramentas para obter financiamentos aos projetos na região e ouvir as demandas dos estados.

O Amazônia Sempre abordará as áreas prioritárias seguintes: população local; agricultura e silvicultura sustentáveis; bioeconomia; infraestrutura; cidades sustentáveis e conectividade. O programa terá como foco a promoção da inclusão de mulheres, povos indígenas, afrodescendentes e comunidades locais; clima e conservação da floresta e fortalecimento das capacidades institucionais e do estado de direito.

O programa terá ainda uma abordagem em três frentes: uma plataforma para mapear recursos financeiros existentes dedicados à Amazônia; um mecanismo de preparação de projeto para desenvolver planos de investimento para os territórios amazônicos e ampliar o valor de US$ 1 bilhão em projetos do BID já identificado para a região em 2023; e estabelecer uma rede de ministros de Finanças e do Planejamento, além de um grupo técnico com apoio do BID para supervisionar o progresso e resultados do programa Amazônia Sempre em questões econômicas e financeiras.

BID
O BID trabalha na região amazônica desde sua criação em 1959, investindo em desenvolvimento sustentável e agricultura sustentável, educação, desenvolvimento urbano, inclusão social e gestão fiscal, entre outras áreas. Atualmente, o Banco mantém uma equipe técnica em cada país da Amazônia e tem uma Unidade de Coordenação da Amazônia dentro de seu Setor de Mudança Climática e Desenvolvimento Sustentável, responsável por coordenar o Amazônia Sempre.

Fotos: Diego Peres / Secom

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *