DestaqueEducação

Aluna da rede estadual encontra no esporte importante ferramenta de inclusão

Integrando a delegação amazonense, Fernanda Abineã estreia nas Paralímpiadas Escolares 2023 nesta quinta-feira, na natação

FOTOS: Eduardo Cavalcante/ Secretaria de Estado de Educação e Desporto Escolar

Há dois anos praticando natação, a aluna Fernanda Abineã, de 13 anos, encontrou na modalidade paralímpica a vontade de continuar a evoluir e praticar esporte, depois de experiências difíceis em outros ambientes. A estudante, que cursa o 7º ano do Ensino Fundamental, é uma das 14 representantes da rede estadual na delegação amazonense das Paralimpíadas Escolares 2023, competição que acontece em Brasília. 

O encanto pela natação veio desde cedo. Fernanda sempre gostou de brincar na água, em piscinas, rios. E foi por conta disso que a mãe dela, Rita Fernanda Abineã, decidiu matricular a filha em uma escola de natação.

“Queria incentivá-la a praticar a natação, já que as brincadeiras na água eram as maiores paixões dela. Porém, percebi minha filha cabisbaixa, irritada com os seus resultados na água e com dificuldade de se relacionar com as outras crianças”, contou a mãe, que também está em Brasília, integrando a maior delegação amazonense da história para as Paralimpíadas Escolares 2023.

Fernanda nasceu com mielomeningocele, que afetou a coluna vertebral dela, interferindo em alguns aspectos neurológicos e físicos. Ela conta que, durante as aulas de natação, sentia que os alguns alunos não se aproximavam dela. 

“Eu não conseguia fazer amizades lá. Por eu ser diferente, eles não faziam amizade comigo. Eu me sentia mal e fui ficando com menos vontade de praticar, treinar. Pensei muito em desistir”, compartilhou a paratleta. 

Inclusão 



Foi quando Fernanda começou a treinar no Centro de Referência Paralímpico do Amazonas que a motivação voltou. “Na minha antiga escola de natação, eu era a única pessoa com deficiência física. Agora, eu converso, me sinto mais acolhida e tenho vontade de continuar evoluindo, viajando mais, participando de competições maiores”, ressaltou Fernanda, que tem o sonho de participar de uma Paralimpíada. 

Assim como toda a delegação amazonense, Fernanda estreia nesta quinta-feira (31/08), nas competições das Paralimpíadas Escolares 2023. Ela vai disputar na modalidade de nado livre, nas provas de 50 e 100 metros. 

“Estou vendo minha filha animada, como poucas vezes vi. A amizade dela com os outros paratletas é muito bonita. A experiência aqui está sendo incrível”, salientou a mãe da Fernanda. 

Paralimpíadas Escolares 2023

Organizada pelo Comitê Paralímpico Brasileiro (CPB), as Paralimpíadas Escolares receberão, este ano, aproximadamente 1,8 mil paratletas em idade escolar, oriundos das 27 unidades federativas do país. Esta é a maior quantidade de competidores da história do campeonato. 

A etapa regional de Brasília antecede a grande Fase Nacional das Paralimpíadas Escolares, que acontece em São Paulo, entre novembro e dezembro. 

“Para gente, é uma honra receber a delegação amazonense aqui, que vem com o maior número de atletas em toda a sua história e é uma honra porque o CPB (Comitê Paralímpico Brasileiro). Hoje, o Brasil é referência mundial nos esportes paralímpicos e isso vem dessa união”, destacou o diretor de desenvolvimento esportivo do CPB, Ramon Pereira. 

As disputas no atletismo, na bocha e na natação começam nesta quinta-feira (31/08) e encerram na sexta-feira (1°/09).

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *